topo :)

11/02/2016

Resenha - Paixão ao Entardecer

Olá pessoal! Estou de volta hoje com a resenha do último livro da séria Os Hathaways de Lisa Kleypas. Confiram abaixo e não deixem de comentar!


Livro: Paixão ao Entardecer
Autora: Lisa Kleypas 
Editora: Arqueiro
Ano: 2015
Páginas: 272
Skoob: 4/5
Adquira o livro: aqui

Sinopse: Paixão ao Entardecer - Mesmo sendo uma família nada tradicional, quase todos os irmãos Hathaways se casaram, até mesmo Leo, que era o mais avesso a essa ideia. Mas para a caçula Beatrix, parece não haver mais esperança. Dona de um espírito livre, apaixonada por animais e pela natureza, Beatrix se sente muito mais à vontade ao ar livre do que em salões de baile. E, embora já tenha frequentado as temporadas londrinas e até feito algum sucesso entre os rapazes, nunca foi seriamente cortejada, tampouco se encantou por nenhum deles. Mas tudo isso pode mudar quando ela se oferece para ajudar uma amiga. A superficial Prudence recebe uma carta de seu pretendente, o capitão Christopher Phelan, que está na frente de batalha. Mas parece que a guerra teve um forte efeito sobre ele, e seu espírito, antes muito vivaz, se tornou bastante denso e sombrio. Prudence não tem a menor intenção de responder, mas Beatrix acha que ele merece uma palavra de apoio – mesmo depois de tê-la chamado de estranha e dito que a jovem é mais adequada aos estábulos do que aos salões. Então começa a escrever para ele e assina com o nome da amiga. Beatrix só não imaginava o poder que as palavras trocadas teriam sobre eles. De volta como um aclamado herói de guerra, Phelan está determinado a se casar com a mulher que ama. Mas antes disso vai ter que descobrir quem ela é. 

ATENÇÃO: Pode conter spoillers dos livros anteriores:
Desejo À Meia-Noite
Sedução ao Amanhecer
Tentação ao Pôr do Sol
Manhã de Núpcias

Resenha: Quinto e último volume da série os Hathaways, Paixão ao Entardecer é o desfecho da história de uma família em que nada mais importa senão o amor verdadeiro. Nesse livro conhecemos a história de Beatrix Hathaway, a mais nova e única irmã ainda solteira da família, e a que todos acreditavam que jamais se casaria por sua personalidade forte e seu espírito livre.

Beatrix é uma jovem “diferente”. Apesar de já ter participado de várias temporadas em Londres, nunca se interessou verdadeiramente por ninguém, e nem tampouco despertou interesse nos jovens solteiros da sociedade londrina. Além de independente e avessa as convenções, Beatrix é fascinada pela vida animal e pela natureza. Ao contrário da maioria das jovens de sua idade que só pensam em casamento, Beatrix quer explorar florestas, resgatar e cuidar de animais feridos, subir em árvores e viver livremente. Além disso, a família Hathaway não é nem um pouco convencional, e casamento com algum deles não é o que se chamaria de vantajoso. Pessoas que colocam o amor à frente dos interesses, que conversam sobre todos os assuntos à mesa inclusive na presença das mulheres e das crianças não são bem vistas na sociedade londrina do século XVIII. Pertencer a esta família é, para muitos, um demérito. Tudo isso diminui muito as chances da jovem Beatrix encontrar um amor. Mas o destino reserva muitas surpresas e a jovem será assolada por uma paixão sem limites.

“Tudo começou com uma carta”

A fútil e superficial Prudence, amiga de Beatrix, recebe uma carta do capitão Christopher Phelan, que está na frente de batalha da guerra da Criméia. Considerado a princípio um ótimo pretendente, Prudence começou a se corresponder com o capitão, mas com o decorrer da guerra, o homem antes refinado e interessante, se tornou denso e sombrio. Imediatamente Prudence perdeu o interesse por Christopher e não tem a menor intenção de responder sua última carta. Mas Beatrix acha que ele merece uma resposta, uma palavra de conforto para tentar consolá-lo no momento tão difícil em que está vivendo, e se oferece para, em nome da amiga, escrever ao capitão. Mesmo depois de ter sido chamada por Christopher de estranha, e mais adequada aos estábulos que aos salões, Beatrix sente uma enorme compaixão pelo homem amargurado e com a alma ferida pela guerra, e por isso decide escrever uma única vez para ele e assinar como Prudence. Mas Beatrix não imaginava o efeito que essas cartas teriam sobre Christopher, e principalmente o efeito que elas teriam sobre ela mesma.

“Desde que me escreveu a respeito de Argo, venho lendo sobre as estrelas. Temos toneladas de livros sobre elas, já que este era um assunto de particular interesse do meu pai. Aristóteles ensinou que as estrelas são feitas de uma matéria diferente dos quatro elementos da terra – uma quintessência – que, por acaso, é também a mesma matéria de que é feita a psique humana. E é por isso que o espírito do homem se conecta com as estrelas. Talvez essa não seja uma visão muito científica, mas gosto da ideia de que a luz de uma pequena estrela brilha dentro de cada um de nós.”

Christopher é um homem devastado pela guerra. Depois de presenciar tanta morte, dor e sofrimento, o único alento do capitão são as cartas de “Prudence”. Elas são para ele um porto seguro, um norte, um bote salva vidas. As palavras dirigidas a ele resgatam a sua alma, e são a única certeza de que há algo de belo lá fora. E escrever para a jovem, se transformou em sua razão de viver.

“Até poder vê-la em meus braços, essas palavras cansadas são o único modo de alcançá-la. Que pífia tradução de amor elas são... Palavras jamais poderiam fazer justiça a você ou capturar o que significa pra mim. Ainda assim, amo você. Juro pela luz das estrelas... Não deixarei essa Terra até lhe dizer pessoalmente essas palavras.”

Mas a visão que Christopher tem da autora das cartas que aquecem seu coração é a de Prudence, e será uma surpresa (agradável?) descobrir a verdadeira pessoa por trás das palavras que o fizeram se apaixonar e amar como nunca antes foi possível.

“Não posso mais escrever para você.
Não sou quem você acha que sou.
Não tinha a intenção de enviar cartas de amor, mas foi isso que elas se tornaram. No caminho até você, as palavras se transformaram nas batidas do meu coração gravadas em papel.
Volte, por favor, volte para casa e descubra quem sou.”

Os livros da série Os Hathaways fizeram um enorme sucesso. Estilo muito em voga, os romances históricos conquistaram um sem número de leitoras nos últimos tempos. Confesso, sou uma delas. O estilo me atrai não só pelas histórias de amor, mas principalmente pelo contexto histórico das tramas. Entretanto nessa série em particular, não se vê muito detalhadamente os hábitos e costumes da época, somente uma superficial descrição, mesmo assim as histórias me cativaram a seu modo.

Os primeiros dois volumes, Desejo à Meia-Noite e Sedução ao Amanhecer não me agradaram muito, melhorando em Tentação ao Pôr do Sol, terceiro da série e Manhã de Núpcias, o quarto livro. Nesse último, onde coloquei muita expectativa por ser o desfecho da série, me decepcionei um pouco. Achei a história repetitiva em relação aos anteriores e não senti muita empatia pelo mocinho. Mas Beatrix é uma personagem fascinante e salvou minha leitura. Gostaria de ser como ela, uma exploradora, sem medo de ser livre e de viver intensamente.

Em retrospecto, a série como um todo foi boa. Lisa Kleypas soube cativar o público com personagens interessantes e histórias de amor uma boa dose de “pimenta”. Valeu a leitura dos cinco volumes mas para mim, não deixará saudades.

“Um minuto se passou, então outro. Pelo resto da vida, Beatrix se lembraria de ficar deitada sozinha com ele, num retalho de chão iluminado pela luz do sol que entrava pela janela... o peso delicioso do corpo de Christopher sobre o dela, o calor íntimo do hálito dele contra o seu pescoço. Beatrix viveria aquele momento para sempre, se fosse possível. Amo você, pensou. Sou louca, desesperada, eternamente apaixonada por você.”

Classificação

Resenha feita por Michelle Figueira 

10 comentários:

  1. Oi, Michelle
    Meu medo de ler essas séries enormes de romances históricos é esse: encontrar a mesma história em todos os volumes. Mas, mesmo assim, o pessoal fala tão bem, principalmente dessa série da Lisa. Como você disse, esse gênero tem conquistado cada vez mais o seu espaço.
    Bom, mesmo decepcionando um pouco, deve ter sido divertido acompanhar essa protagonista, toda livre e espontânea kk Me pareceu mesmo ser um dos pontos altos da trama.

    Beijo,
    João Victor - De cabeça para baixo | All POP Stuff

    ResponderExcluir
  2. Oie, tudo bem!
    Bom, confesso que fiquei um pouco perdida na sua resenha porque não li nenhum livro da série, mas me identifiquei com Beatrix, uma vez que ela parece ter princípios parecidos com os meus. Achei interessante ela ter respondido a ultima carta pela amiga, e pelo o que entendi, isso acabou desencadeando um pseudo relacionamento.
    Eu tenho os dois primeiros livros da série (e vi que foram os que você menos gostou), mas ainda não tive AQUELA vontade de lê-los, entende? E que pena que o desfecho não foi como você esperava... Mas pelo menos a leitura da série foi proveitosa ^^

    Beijinhos e um maravilhoso restinho de semana :*
    procurei-em-sonhos.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Michelle,
    Eu comecei a ler essa série da Lisa por causa dos personagens/protagonistas ciganos. Se formos observar são raros os livros ou romances de época/históricos que apresentam personagens dessa cultura. Meu casal favorito é o do primeiro livro e do terceiro. Mas de todos esse foi bem decepcionante para minha pessoa, eu esperava algo que me envolvesse muito que nem foi com os outros, a protagonista nos livros anteriores chamavam bastante atenção, então o livro dela para minha pessoa podia ter sido mais desenvolvido. Sim, eu achei um pouco clichê. Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Sempre tive intenção de ler essa série, não apenas pelo gênero, mas também porque essas capas me conquista, acho lindas demais e sou dessas, leio um livro pela capa, rs. Bem, o que acho uma pena, é a autora não ter focando um pouco mais no costume da época, acho que para livros desse estilo, isto é tão importante, quanto o próprio romance, pois situa o leitor no tempo que a trama é feita, e sinceramente, gosto quando os costumes são bem citados, dá uma sensação de ser transportado para a aquela época e realmente é uma pena, que isto acabou não sendo tão o foco. Uma coisa, que queria saber, pode ser fora de ordem ou é bom ler certinho, na ordem da história por exemplo? Ah, não sei se você leu, mas um histórico que me cativou muito foi o Madrugadas de Desejos, lançado pela Única, é muito bom, lindo demais! Enfim, gostei bastante da resenha, e pretendo ler a série, espero sim gostar, mas não irei com tanta expectativa, afinal, vai que acabo não curtindo?

    http://www.daimaginacaoaescrita.com/

    ResponderExcluir
  5. Eu adoro romances de época, mas confesso que sou um pouco perdida se já iniciei as séries ou não, pois são muitos livros e séries. Então não sei dizer se já li algum livro dessa, mas se não, com certeza irei fazer isso.
    A série tem só cinco livros? Achei que tivesse mais, tem umas que tem trocentos livros, rsrs. Adorei saber mais sobre esse último.
    Eu acho as capas lindas demais!
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, Kelly!
    Vi comentários bem diversificados sobre a série de Lisa Kleypas, e por mais romântica que seja, até então nunca havia me interessado por romances históricos, mas desde que comecei a ler resenhas de alguns livros do gênero desde o mês passado, tenho cogitado a ideia de dar uma chance a ao menos um deles, um dia, quem sabe. Enredos com protagonistas firmes e à frente do seu tempo, como parece ser o caso de Paixão ao Entardecer, muito me atraem nesse ponto, pois uma coisa que me cansa são personagens que perdem tempo com 'mimimis' e são tão delicadas e sem qualquer atitude na história. Muito provavelmente, por isso, eu viria a simpatizar com a Beatrix, quem sabe. No mais, parabéns pela resenha!
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional ♥

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    Posso ser sincero? Li só até a parte que você diz que pode ter spoiler, eu estou começando a ler o primeiro livro da série para poder levar uma opção do gênero para o blog.
    Você me entende não é mesmo. não quero estragar a história que estou começando a ler.
    Parabéns pelo blog, abraços

    ResponderExcluir
  8. Oiee!
    Sabe, eu tenho uma curiosidade imensa pelos livros dessa autora. Essas capas me seduzem, e por coincidência essa do vestido verde é minha preferida. A história também atrai muito! Espero por ler em breve.

    luadeneon.com

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Tenho muita vontade de ler essa série principalmente por ela ser um pouco diferente dos romances de época que são publicados que relatam mais os costumes e sociedade daquela época.
    Mas isso que os volumes da série são meio repetitivos desanima um pouco. O bom é saber que a mocinha desse é completamente interessante e não deixa a desejar ;)

    www.gordinhaassumida.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi, Michelle! Não fique com raiva de mim, mas não li a sua resenha completa com medo de pegar spoilers. Hahaha E eu super te entendo sobre a série não deixar saudades! Eu to sentindo que não vai deixar pra mim também.
    Beijinho

    ResponderExcluir

Obrigado pela seu visita, e pelo seu comentário.
Deixe o link do seu blog se você tiver, que irei seguir com maior prazer.
Deixe também o seu e-mail, que estarei respondendo o seu comentário.
Bjos

© Livros e Marshmallows ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo